Bluefit

Conheça a Bluefit, próxima rede de academias a entrar na B3

Recentemente, a rede de academias Smart Fit, realizou sua oferta pública de ações e finalmente estreou na bolsa de valores.

Embora o IPO tenha sido realizado sobre alguns questionamentos, devido à pandemia, este acabou sendo um sucesso. A empresa levantou R$ 2,3 bilhões e, com isso, conseguiu recursos para seu caixa e realizar aquisições estratégicas.

Ainda que seja questionável, realizar um IPO de uma rede de academias em plena pandemia, o momento foi oportuno. Com o aceleramento da vacinação e a iminência de total reabertura da economia, espera-se que haja uma demanda reprimida para a volta da realização de exercícios físicos.

Dessa forma, inspirada na Smart Fit, a rede de academias Bluefit irá realizar seu IPO dia 24 de setembro. As expectativas são positivas depois da oferta pública da Smart Fit, embora as expectativas de arrecadação sejam menores.

Com isso, nesse artigo iremos falar sobre esta rede de academias, concorrente da Smart Fit no segmento de lowcost. Acompanhe com a gente este artigo e fique por dentro de este IPO que irá acontecer em breve!

Veja também: Tipos de investimentos contra a inflação

Conhecendo a empresa

Bluefit

A empresa foi fundada em maio de 2015, utilizando o nome de Health Place. Genuinamente paulista, a primeira unidade da empresa foi sediada em Carijós, no município de Santo André.

Ainda no mesmo ano, foi inaugurada uma segunda unidade da academia, na cidade de São Paulo. Já em 2016, uma nova unidade no município de Santo André foi aberta.

Contudo, a utilização do nome Health Place persistiu apenas 1 ano. Devido a uma pesquisa de mercado realizada pela empresa, houve uma alteração no nome da marca, passando a se chamar Bluefit.

Contudo não só o nome mudou como toda a identidade visual da marca, inclusive um novo projeto arquitetônico das unidades. A Bluefit opera utilizando os mesmos padrões visuais desde então.

Em relação aos investimentos recebidos, o primeiro aconteceu ainda em 2016, através da Leste Private Equity. Em 2017, a empresa recebeu mais dois aportes de investidores. Isso acelerou a expansão da Bluefit, crescendo ainda mais a marca. 

Nesse sentido, como estratégia para acelerar sua expansão, a empresa apresentou um novo modelo de negócios. Foi estabelecido um modelo de franquias, onde a Bluefit presta manutenção e investimento em unidades próprias.

Hoje, a empresa conta com 102 unidades em operação. Sendo que, 61 unidades são próprias e 41 franqueadas, somando um total de 201 mil clientes.

Sendo assim, a empresa atua na maioria dos estados da federação. Atua em 15 estados e o Distrito Federal, mas com atuação em todas as regiões brasileiras. São mais de 50 cidades que possuem uma unidade da Bluefit.

Veja também: O que são gastos supérfluos e quais os tipos mais comuns?

Resultados da Bluefit

Como era de se esperar, o ano de 2020 não foi bom para a companhia. A receita líquida teve uma queda de 45%, um reflexo da pandemia. Contudo, ainda antes da pandemia, a empresa já havia registrado um prejuízo de R$ 670 mil em 2019, que saltou para quase R$ 31 milhões em 2020.

Nesse sentido, a empresa teve que buscar recursos através de empréstimos e financiamento para manter as atividades. Os valores relacionados a isso chegaram a R$ 65,5 milhões em 2020, onde 44% têm vencimento no curto prazo.

Contudo, neste ano, os indicadores da companhia já apontam alguma melhora. No segundo trimestre deste ano, foi registrado prejuízo líquido de R%6,901 milhões. O valor representa queda de 44,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Até o final de junho, a companhia havia registrado o valor de 201 mil clientes ativos.

Por outro lado, em relação ao Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), o valor foi de R$ 5,9 milhões. O valor representou uma reversão em relação ao mesmo período do ano passado. Naquele momento, foi registrado o valor negativo de R$ 8,3 milhões.

IPO da Bluefit

A empresa realizou o protocolo do seu IPO junto a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em 30 de julho deste ano. A oferta será primária, quando a empresa fica com recursos em caixa, e também secundária, quando os seus acionistas realizam a venda de parte das suas ações.

Nesse sentido, a empresa possui como acionistas a Leste Private Equity Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia Investimento no Exterior (LPE), a LPE II Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia Investimento no Exterior e a LPE Fitnesse Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia.

Além disso, a Sintesi Participações e o Fortune Pre IPO Fund, fundo da Fortune Partners Group, são também acionistas. Com isso, os recursos captados através do IPO serão utilizados para o crescimento orgânico da Bluefit.

Serão abertas novas filiais por todo o país. Também serão adquiridas novas franquias ou participações de não controladores em SCPs e subsidiárias. 

Com isso, a empresa deve movimentar até R$ 400 milhões. Pode chegar até R$ 600 milhões ao negociar lotes suplementar e adicional.

A empresa já realizou ao menos 70 reuniões com a XP Investimentos, responsável pela coordenação da oferta pública. Foi estabelecida uma faixa de preço entre R$ 12,25 e R$ 15,25 por ação, contudo, o preço será de fato definido em 24 de setembro.

Conclusão

O mercado de academias tem boas perspectivas de forte crescimento nos próximos anos. As perspectivas para o pós-pandemia são de uma demanda reprimida, que irá buscar hábitos mais saudáveis. Contudo, o que pode prejudicar o segmento é a dificuldade da retomada econômica

Embora estejamos na iminência de plena abertura das atividades econômicas, o cenário de empregos pode não ser o esperado. Isso pode dificultar as academias a não obterem o resultado esperado.

No entanto, o segmento lowcost praticado pela Bluefit se apresenta como uma boa estratégia. A ideia é fornecer um serviço de qualidade, com preços mais atrativos que podem ser pagos pela maioria dos brasileiros.

Nesse sentido, os resultados dos últimos 2 anos possam desanimar aqueles que queiram participar do IPO. Contudo, é importante lembrar que a empresa vem realizando a expansão da sua operação, mesmo no cenário pandêmico.

Embora os resultados financeiros negativos, a empresa vem se preparando para atender o aumento da demanda nos próximos anos.

Com isso, a expectativa é que o cenário do IPO da Smart Fit se repita para a Bluefit. Com isso, é importante ficar atento ao prospecto preliminar publicado junto a CVM e estudar sobre a empresa.

Veja também: Conheça a Smart Fit, primeira empresa do ramo fitness a estrear na B3

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts